Risco de contágio por Covid-19 aumenta em 11 regiões do Rio em uma semana

0
88

A situação sanitária da cidade do Rio de Janeiro registrou uma piora significativa nos últimos 7 dias. É o que aponta o primeiro boletim do  mapa epidemiológico da Covid-19 emitido nesta sexta-feira (15/01).

O documento evidenciou uma piora na classificação de 11 Regiões Administrativas (RAs). Agora a capital tem 28 regiões no nível de alto risco e apenas cinco no moderado. Na semana passada, eram 18 e 15, respectivamente. Apenas uma região apresentou melhora, a de Realengo. A classificação de risco da Prefeitura varia entre as cores roxa (risco muito alto), vermelha (risco alto), laranja (risco moderado), amarela (risco baixo) e verde (risco muito baixo)

A Prefeitura já admite adotar medidas mais severas a partir da segunda-feira (18/01) para tentar conter o avanço da doença entre os cariocas. Eduardo Paes (DEM), no entanto, reassegurou que não haverá decretação de lockdown na cidade.

De acordo com o boletim epidemiológico da Prefeitura, as 11 RAs que registaram piora no índice, de moderado para alto, foram: Vigário Geral (Vigário Geral, Cordovil, Parada de Lucas e Jardim América) e Cidade de Deus; São Cristóvão (Benfica, Mangueira, São Cristóvão e Barreira do Vasco); Inhaúma (Inhaúma, Engenho da Rainha, Higienópolis e Tomás Coelho)Ramos (Bonsucesso, Ramos e Olaria); Jacarepaguá (Jacarepaguá e Vila Valqueire); Ilha do Governador; Pavuna (Pavuna, Barros Filho e Costa Barros); Penha (Brás de Pina, Penha e Penha Circular); Guaratiba (Guaratiba, Barra de Guaratiba e Pedra de Guaratiba); e região Portuária (que inclui os bairros do Caju, Gamboa, Saúde e Santo Cristo).

As Regiões Administrativas da Rocinha, do Complexo do Alemão, do Jacarezinho, do Complexo da Maré e de Realengo encontram-se com risco moderado de contaminação por Covid-19. A RA de Realengo, que engloba ainda os bairros de DeodoroVila MilitarCampo dos AfonsosJardim Sulacap Magalhães Bastos, estava no ranking do risco alto na semana passada. O restante da cidade está no nível laranja ou moderado.

Em regiões com risco alto, comércios e serviços devem adotar regras mais restritivas. Shoppings, supermercados, bancos, padarias e farmácias, por exemplo, só podem receber dois terços do público previsto em sua capacidade — quando a classificação estiver no nível moderado, não há restrição de público, exceto para os shoppings, que podem funcionar com 75% da sua capacidade. Nos bares, restaurantes e quiosques que ficam nas áreas com risco alto, não é permitido ter música ao vivo e só se pode servir comida e bebida a quem estiver nas mesas.

Eduardo Paes tem destacado em seus pronunciamentos que nos primeiros 15 dias de governo, a fiscalização iniciada nesta sexta-feira (15/01), será apenas para orientar os estabelecimentos. Futuramente a Prefeitura tomará medidas mais duras com aqueles que não seguirem as regras.

Fonte: Diário do Rio