Segundo a secretaria estadual de Saúde, tendência é de aumento dos indicadores precoces, mas com pedidos de leitos em patamares baixos devido a cobertura vacinal

Nesta última quinta-feira (09/06), a cidade do Rio registrou o maior número de internados por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) em quatro meses. De acordo com o secretário municipal de Saúde do Rio, Rodrigo Prado, 85% dos internados hoje estão com a situação vacinal incompleta ou não foram imunizados.

Para chegarmos nessa porcentagem, consideramos todos que tenham qualquer atraso no esquema vacinal, ou seja, com a primeira dose ou com as doses de reforço atrasadas. Por exemplo, um paciente com 53 anos com a última dose de reforço atrasada já entra nesse levantamento”, explicou Prado ao jornal O Dia.

Apesar do aumento na positividade, o número de casos graves ainda é considerado pequeno, por causa da alta cobertura vacinal. Atualmente, 88,1% da população carioca têm o esquema vacinal primário completo. O primeiro reforço chegou a 67,5% dos maiores de 18 anos e o segundo alcançou 59,4% dos idosos e 14% da faixa etária entre 50 e 59 anos.

A 4ª edição do Panorama Covid-19, divulgada nesta sexta-feira (10/06) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES), mostra um cenário com tendência de crescimento dos indicadores precoces da Covid-19, mas com solicitações de leitos ainda em patamares baixos. A análise considera os dados registrados na semana de 29 de maio a 5 de junho.

Os atendimentos a casos de síndrome gripal nas Unidades de Pronto Atendimento do estado (UPAs) aumentaram 14% em relação à semana anterior. A taxa de positividade de antígeno continua em tendência de crescimento. Na última semana, foram realizados em média 10 mil testes por dia, sendo a positividade de 28%. Em relação ao RT-PCR, estão sendo analisados em média mil exames por dia, com positividade de 23%.

Partindo de um patamar muito baixo, de duas a três solicitações de leitos por dia, esse indicador apresentou um aumento relativo, mas em números absolutos ainda baixo. A média diária de solicitações de leito para Covid-19 na semana de 29 de maio a 5 de junho foi de 13 para UTI e 12 de enfermaria. No mesmo período, a média diária de pessoas aguardando leito Covid-19 foi de 17 para UTI e 14 para enfermaria.

Fonte: Diário do Rio