Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que, em 2015, apenas a malária causou 438 mil mortes

Existem 3.500 espécies de mosquitos conhecidos pela ciência, um número modesto considerando o universo dos insetos. Mas o impacto desses pequenos seres na saúde da humanidade é calamitoso.

Os mosquitos são um dos animais mais mortais do mundo. Sua capacidade de transportar e espalhar doenças causa milhões de mortes todos os anos, um quadro que deverá se agravar em um mundo cada vez mais quente.

Segundo um novo estudo, quase um bilhão de pessoas poderão enfrentar “sua primeira exposição” a uma série de doenças transmitidas por mosquitos entre 2050 e 2080 como consequência do aquecimento global.

Dados da Organização Mundial da Saúde apontam que, em 2015, apenas a malária causou 438 mil mortes. Nos últimos 30 anos, a incidência mundial de dengue aumentou 30 vezes.

A pesquisa enfoca duas espécies que são particularmente perigosas para os humanos: o Aedes aegypti e o mosquito tigre asiático (Aedes albopictus). Ambos carregam doenças virais, como dengue, zika, febre amarela e chikungunya.

O estudo destaca que os países europeus e os da África Subsaariana seriam os mais afetados pelo aumento da incidência de casos dessas doenças.

Fonte: Tribuna Online

Faça o seu comentário