Em todo o Continente, mais de 22 mil pessoas tiveram complicações graves; 1,2 mil morreram pela doença em 2019. Testes rápidos de sangue reduzem índice de letalidade

Este ano, até outubro, o Brasil teve o maior número, em valores absolutos, de casos de dengue dentre todos os países da América Latina. De acordo com relatório da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), foram mais de dois milhões de casos notificados apenas em território brasileiro. Para entender a gravidade da doença em solo nacional, a soma de todos os casos registrados nas demais nações da região não chega nem à metade desse volume: cerca de 700 mil ocorrências.

Ainda segundo o documento, a dengue gerou complicações graves em 22,1 mil pessoas e 1,2 mil morreram pela doença na América Latina. O manejo clínico adequado desde o início da doença é essencial. Nesse sentido, de acordo com a Fundação Nacional da Saúde, o reconhecimento precoce dos casos é de vital importância para a tomada de decisões e implementação de medidas de maneira oportuna, visando ao controle da enfermidade.

Por isso, a utilização de testes rápidos é um modo eficaz de agir prontamente na identificação da doença e evitar terapias inadequadas. Assim, é possível confirmar o diagnóstico em poucos minutos, distinguindo a enfermidade de outras doenças infecciosas, incluindo arboviroses transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, como chikungunya e zika.

Segundo o diretor médico da MedLevensohn, Dr. Alexandre Chieppe, as primeiras manifestações clínicas de grande parte das doenças infectocontagiosas são inespecíficas, como febre, dor de cabeça, dores musculares e articulares. Por isso, nem sempre é possível realizar o diagnóstico com base nos sinais e sintomas. No caso do Brasil, com a circulação concomitante de diversas arboviroses urbanas e silvestres, o desafio é ainda maior. No caso da dengue, em que as principais complicações graves podem ocorrer de forma muito súbita, principalmente em função do extravasamento de líquido dos vasos sanguíneos, o manejo clínico adequado desde o início é fundamental.

O médico explica que o começo do tratamento, principalmente com a hidratação adequada, ajuda a prevenir que a enfermidade se torne mais grave. “Diagnosticar ou excluir a possibilidade da dengue permite a terapia oportuna ou o direcionamento da investigação para outras doenças infecciosas. A maioria delas apresenta sinais e sintomas muito semelhantes nas fases iniciais, mas tratamentos diferentes”, afirma Dr. Chieppe.

Dessa forma, o teste rápido é um grande aliado, já que se realiza em apenas dez minutos, em qualquer fase da doença, com amostras de sangue (uma gota por punção digital), ou de soro ou plasma. O material é colocado em um cassete e, depois, é adicionada a ele uma solução-tampão. “Esse dispositivo imunocromatográfico rápido é muito simples de ser utilizado e não necessita de estrutura laboratorial ou de profissionais de saúde especializados. Portanto, pode ser utilizado em qualquer nível de atenção à saúde, inclusive UBS e serviços de urgência e emergência”, ressalta o Dr. Chieppe.

Esse tipo de ferramenta tem a grande vantagem de fornecer o resultado em poucos minutos, por meio de uma leitura visual, sem requerer equipamentos adicionais e utilizando pouco volume de sangue capilar, diferentemente dos exames habituais, realizados em laboratórios de análises clínicas, nos quais o tempo de espera pelo resultado pode levar alguns dias. “É uma tecnologia muito útil para ajudar os profissionais de saúde a evitar formas graves de dengue, reduzindo assim a letalidade da doença”, explica o médico.

Precisão e rapidez
Diretor técnico do Laboratório Blessing, André Monteiro conta que utiliza testes rápidos há pelo menos 20 anos. Desde 2016, tornou-se parceiro da MedLevensohn. A atuação se dá em hospitais e Unidades de Pronto-Atendimento (UPA) do Rio de Janeiro, abrangendo a capital, Niterói, Parati, Petrópolis e outras regiões. “Não tenho a menor dúvida de que é uma ferramenta muito boa, de fácil acesso, que melhora muito o atendimento para o paciente”, afirma. “É uma situação já consolidada e que ajuda, e muito, na prestação de um bom serviço à população”.

O endocrinologista e toxologista Dr. William Waissmann, assessor médico da Blessing, explica que os testes levam aos consultórios e laboratórios rapidez e acurácia no diagnóstico. “Pelo preço baixo, é possível reduzir custos de procedimentos do Sistema Único de Saúde, por exemplo, e, também, evitar possíveis internações por complicações destas doenças”.

Sobre a MedLevensohn
Distribuidora brasileira especializada em saúde, que oferece, além de sistema de testes rápidos, produtos e serviços que auxiliam no diagnóstico, monitoramento e tratamento de doenças cardiovasculares, diabetes, hipertensão arterial, colesterolemia e Acidente Vascular Cerebral (AVC).

No mercado há mais de 15 anos, é distribuidora e importadora Master Dealer, referência de alta tecnologia, segurança, agilidade e preço competitivo na promoção da qualidade de vida e bem-estar de seus clientes e parceiros. Em 2019, conquistou a marca de um bilhão de tiras de glicemia On Call Plus distribuídas no Brasil. Isso torna a empresa a maior distribuidora da fábrica Acon no mundo, superando, inclusive, companhias chinesas.

Está presente em todo o território nacional, por meio da sua Rede de Distribuição. Possui sede no Rio de Janeiro, um Centro de Distribuição em Serra (ES) e filiais em São Paulo e Belo Horizonte. Também presta serviços em nível nacional para órgãos públicos, setor hospitalar, varejista e público médico.

Atendimento à imprensa
Ricardo Viveiros & Associados — Oficina de Comunicação
Rosangela Sousa — [email protected]
Raphael Pozzi – [email protected]
Telefone: (11) 3670-5424 / (11) 95142-7925

Faça o seu comentário