Após isolarem anticorpos de pessoas recuperadas da Covid-19, pesquisadores observaram que eles podem ser usados para neutralizar novas variantes com eficácia de até 97%

Um dos principais desafios da pandemia de Covid-19 é a manifestação de diferentes cepas do vírus Sars-CoV-2 e a necessidade de desenvolver imunizantes que sejam efetivos para combater todas elas.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Tel Aviv, em Israel, deu um passo promissor nessa direção ao descobrir anticorpos capazes que neutralizar todas as formas já apresentadas do vírus da Covid-19.

Publicado na revista Nature Communications Biology na última segunda-feira (5), o estudo demonstra que os anticorpos isolados do sistema imunológico de pacientes recuperados de Covid-19 são eficazes na neutralização de todas as cepas conhecidas, incluindo as variantes delta e ômicron. 

Segundo os pesquisadores, essa descoberta é importante porque pode eliminar a necessidade de repetidas doses da vacina de reforço, além de fortalecer o sistema imune das populações em risco.

O novo trabalho é a continuação de um estudo preliminar realizado no final de 2020, quando a pandemia estava em seu auge. Naquela época, os cientistas sequenciaram células do sistema imunológico a partir do sangue de pessoas recuperadas da cepa original do coronavírus, e isolaram nove anticorpos que os pacientes produziram.

“No estudo atual, provamos que os anticorpos TAU-1109 e TAU-2310, que se ligam à proteína de pico viral em uma área diferente da região onde a maioria dos anticorpos estavam concentrados até agora (e, portanto, foram menos eficazes em neutralizar a cepa original), são realmente muito eficazes na neutralização das variantes delta e ômicron”, afirma Natalia Freund, da Universidade de Tel Aviv, em comunicado.

Natalia Freund, pesquisadora da Universidade de Tel Aviv que liderou o estudo responsável pela descobertaa  (Foto: Divulgação/ Universidade de Tel Aviv)
Natalia Freund, pesquisadora da Universidade de Tel Aviv que liderou o estudo responsável pela descoberta (Foto: Divulgação/ Universidade de Tel Aviv)

De acordo com os resultados da pesquisa, a eficácia do primeiro anticorpo, TAU-1109, na neutralização da cepa ômicron é de 92% e de 90% contra a delta. O segundo anticorpo, TAU-2310, neutraliza a ômicron com eficácia de 84% e a variante Delta, em 97%.

Para Freund, os anticorpos podem trazer uma revolução na luta contra a Covid-19. Quando introduzidos ao organismo, podem servir como um substituto eficaz para doses de reforço.

“A infecção por Covid-19 pode causar doenças graves e sabemos que fornecer anticorpos nos primeiros dias após a infecção pode impedir a propagação do vírus. Portanto, é possível que, usando um tratamento eficaz com anticorpos, não tenhamos que fornecer doses de reforço para toda a população toda vez que houver uma nova variante”, completa a cientista de Israel.

Fonte: Galileu