No Rio de Janeiro, assim como em todo o Brasil, a porcentagem de serpentes peçonhentas (as que tem veneno) é bem baixa, cerca de 15% do total geral de espécies de serpentes brasileiras.

Então, quais são as serpentes com que devo tomar mais cuidado em caso de avistamento nas terras cariocas?

São elas: Jararaca comum “Bothrops jararaca”, uma parente próxima dela, a jararacuçu “Bothrops jararacussu”, e as corais-verdadeiras, no RJ a mais comum é a “Micrurus corallinus”.

Arthur, o que eu faço se encontrar um animal destes em uma trilha pra praias ou na floresta?

Simples, não faça nada! Elas tendem sempre a ficar imóveis até que você se aproxime demais, então darão um bote defensivo. E quanto às corais, mais especificamente sempre irão fugir, mas se tentar manusear irá ser picado, com toda certeza.

Mas e se ele estiver no meu quintal? Também não mexa nele, ligue para a polícia e peça contato com a divisão ambiental, ou ligue para o corpo de bombeiros! Ou me mande uma foto do animal pois é bem possível que não lhe ofereça risco algum rsrsrs.

Recado importante! Jamais manuseie animais silvestres sem o devido conhecimento, acidentes ofídicos (picadas de serpentes) não matam muito, cerca de 0,5% num total de mais de 30.000 acidentes anuais, mas não queira se enquadrar na estatística dos 0,5%. Seja sábio, respeite a biologia de todos os animais, bem como seus limites.

* Para mais informações a cerca destes animais me acompanhe no instagram @bioarthurmarinho e me mande suas dúvidas! 

Fotos: Biólogo Rodrigo C. Gonzalez!